domingo, 17 de julho de 2005

Bach

Quero aprender. Quero ser sublime no que faço. Quero dar algo de especial ao mundo. Quero acreditar que há uma razão que dá sentido à vida, um princípio que me ajuda a atravessar os maus momentos e os bons também. Quero crer que no mundo existe alguém tão só quanto eu. Quero acreditar que vamos encontrar-nos e amar-nos e que jamais voltaremos a conhecer a solidão. Quero ensinar-te tudo o que aprendi, mas quero oferecer-to sem nada te cobrar, porque farás com essa aprendizagem algo diferente do que fiz eu. E sei que, de alguma forma, encontrarás maneira de me dizer o que fizeste diferente e porquê. Não existem erros. Os acontecimentos que atraímos a nós, por mais desagradáveis que sejam, são necessários para aprendermos o que necessitamos de aprender. Todos os passos que damos são necessários para chegarmos onde escolhermos chegar. Quero viver de maneira a nunca me envergonhar se ao mundo for divulgado o que faço ou digo, mesmo que o divulgado não seja verdade! E se desejas tanto a liberdade e a felicidade, porque não vês que trazes ambas dentro de ti? Diz que são tuas e tê-la-ás! Age como se fossem tuas e sê-lo-ão! Porque não é o desafio que define quem somos nem o que somos capazes de fazer, mas sim o modo como enfrentamos esse desafio: podemos deitar fogo às ruínas ou construir um caminho através delas, passo a passo. Não importa se fizemos isto ou aquilo... O que importa é que temos infinitas possibilidades de escolha. Cada uma dessas escolhas traz-nos experiências que nos dão a ver que não somos criaturas tão pequenas como parecemos, mas sim expressões interdimensionais da vida... As perguntas mais simples são também as mais profundas: para onde vais? Onde fica a tua verdadeira casa? O que fazes da tua vida? Interroga-te de tempos a tempos e observa como mudam as tuas respostas!
Qualquer ideia magnífica é absolutamente fascinante e absolutamente inútil até a pormos em prática, por isso, aproveita a vida para fazeres dos teus sonhos realidade e não terás tempo para te sentires frustrado... E não acredites no que os teus olhos te dizem, pois eles só te mostram limitações! Serve-te da tua inteligência, observa, mas descobre o que já sabes: se buscas a segurança em vez da felicidade, a segunda será o preço que tens a pagar pela primeira.
Jamais deixes de ser criança... Nunca deixes de sentir, gostar, ver e extasiar-te diante de coisas tão grandiosas como o ar, o vôo, os sons da luz do sol dentro de ti... O que para a crisálida parece ser o fim do mundo, é para o cientista uma bonita borboleta que nasce!
E se nos apegarmos demasiado às coisas e às pessoas, quando as perdemos não perdemos com elas uma parte de nós? jamais existirá uma pessoa que possua algo além dos seus próprios pensamentos! Nem as pessoas, nem os lugares, nem as coisas podem ser possuídos por muito tempo. Percorremos um troço do caminho com eles, mas mais cedo ou mais tarde as nossas experiências de vida e pensamentos tornam-se nos nossos únicos bens, e teremos que seguir um caminho por solitárias veredas. Mas poderá alguma distância separar-nos realmente dos amigos? Se quiseres estar com alguém, não estarás de certa forma já lá? Porque se a nossa amizade depende de coisas como o tempo e o espaço, então, quando finalmente os houvermos superado teremos destruído a nossa própria intimidade. Supera o espaço e restar-nos-á um Aqui. Super o tempo e restar-nos-á um Agora. E entre o Aqui e o Agora, não achas que poderemos tornar a ver-nos algumas vezes?
Tens que aprender que és o teu próprio tutor. Necessitas encontrar-te a ti mesmo um pouco mais a cada dia que passa. O que não poderíamos aprender com o nosso Eu futuro! E o que não ensinaríamos ao nosso Eu passado!...

Foi o que me apeteceu escrever depois de ler Richard Bach. Sim, compreendo que considerem bacorada, mas assim foi estilo desabafo, e sempre postei alguma coisa. Tenho dito.

Darko kisses*****

3 comentários:

  1. bem.. isto e' q s chama inspiraçao.. ou entao uma quantidd enorme d substancias psicotropicas a circularem livremente no sangue.. ou entao e' o efeito d ter passado os dias anteriores a estudar celulas, ossos, musculos, sinapses e coisas do genero..
    a razao pela qual escrevest n sei.. mas sei q gostei..;)

    ResponderEliminar
  2. Olha....é assim...n curto cá abusos:P Tu kerias era ter passado tto tempo kt eu a estudar biocel, locomotor e nervoso...TD outra vez! admite lá...ag vens com comentarios piedéticos ao meu texto.. Ao menos eu escrevo alg coisa!!:P Vamos la a ver se o estudo valeu a pena:D

    ResponderEliminar
  3. Lindo texto... muito insightful ;)

    Eu por exemplo, já tentei deixar de ser criança... mas não consegui. =|


    *

    ResponderEliminar