quinta-feira, 27 de junho de 2013

Querida Nonô #1

Ontem, por esta hora, estavas no meu colo. Pela primeira vez. Encheste-me o coração com as duas horas em que lá estiveste. Fizeste-me festinhas com a tua mão pequenina, enquanto olhavas para o papá com os teus olhos expressivos. Pedimos-te sempre que tivesses muita força e ficasses connosco. E ficaste... Mas o teu coraçãozinho estava a fraquejar, e os teus intestinos no limiar de te fazer sofrer. E isso era a última coisa que queríamos!

Aí, enchemo-nos de coragem, e demos-te liberdade para escolher. Se quisesses partir, que partisses. Confiámos sempre em ti, e nesse momento também sabíamos que ias fazer o melhor para ti. Mesmo que o melhor para ti nos doesse tanto...

Quando a máquina nos indicou que o teu coraçãozinho tinha parado, eu ainda levantei o cobertor e carreguei muito no sensor. Não queria acreditar... Mas não. Tinhas partido e deixado o nosso coração cheio de amor, mas ao mesmo tempo vazio como nunca o senti.

Lembrarei para sempre esse momento. Lembrarei para sempre todos os momentos que passei contigo nestes 6 dias.

Hoje está mais difícil que ontem. Primeiro porque ontem ainda te abracei. Depois porque hoje parece mais real, e sei que nunca mais te vou poder tocar.

És a nossa estrelinha, e a nossa princesa Leonor. Para sempre. Nunca te esqueceremos, minha filha.

Por favor, nunca se esqueçam dela também, nem da lição de força e amor incondicional que ela nos deus. Um corpinho de 441 gramas onde cabia uma alma do tamanho do mundo.

Amo-te filhota. Não te apoquentes com as minhas lágrimas. Talvez passem... talvez. Eu estou bem e foi uma honra conhecer-te.


37 comentários:

  1. Muita força para vocês!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. É algo que nos toca a todos, sentir tamanha injustiça, mas toca ainda mais a quem tem filhos e sabe o que significam na nossa vida, tendo uma pequeníssima ideia do que possas estar a sentir.
    Não há muitas palavras que possamos dizer nestas horas, porque se tornam pequeninas.
    Dizem muitas vezes que a vida é feita de escolhas, mas a vida é feita de sabermos lidar com aquilo que nos aparece no caminho.
    E sabe deus o quão difícil é fazê-lo neste momento.
    Desejo tudo de bom a ti e à tua família, e também à pequenina Nô e que possam continuar em frente da melhor forma que conseguirem, permitindo-se ultrapassar este momento tão difícil.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada! Havemos de conseguir... Todas as palavras nos fazem sentir acompanhados e compreendidos. Obrigada!

      Eliminar
  3. Infelizmente sei o que estás a passar, perdi 3 bébés e dois deles eram gémeos... e finalmente consegui ter um João Pestana que hoje tem 9meses...

    Não há nome para os pais que perdem os filhos...
    Quando perdemos os pais, ficamos órfãos,
    Quando perdemos os maridos, ficamos viúvas...

    A minha mãe perdeu o meu irmão em Dezembro de 2012 com 21anos, acidente de automóvel, ia de pendura...

    Como a tua princesa lutou dia por dia, nós mães dp da partida deles, fazemos os mesmo. Uma luta diária.

    Mas já sabes se consegues engravidar de novo?

    Força, e se precisares apita que podemos partilhar experiências.

    Beijo doce como a tua princesa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! À partida conseguirei, mas ainda nem tive consulta de revisão de puerpério. Vamos ver! A Nô há-de ajudar...

      Eliminar
  4. Não tenho palavras. Mas não queria deixar de vos deixar força. Muita muita muita força. A Leonor vai estar sempre convosco. Beijinhos. **

    ResponderEliminar
  5. Quando era pequenina a minha Avó contava-me que existia um céu, onde estavam todos os bebés do Mundo. E ela dizia-me também que havia uma certa altura em que os bebés decidiam quem seriam os seus Pais.

    Por isso e apesar de já não ser “pequenina”, continuo a ter uma visão fantasista mas que me faz crer que a Leonor vos escolheu. A vocês. E não foi por acaso… Foi porque sabia que seriam uns Pais com um coração que se reflecte a cada palavra que escrevem: os dois! Tanto amor, tanta ternura, tanta vontade de fazer destes 6 dias, o mais feliz possível para a vossa bebé. É completamente esmagador o amor que se traduz naquilo que nos foram contando nos vossos blogues.

    E por isso repito que, não acredito que exista nada mais trágico que a partida de um bebé. É inevitável tentar colocar-me na vossa posição e imaginar o desespero, a frustração e angustia. O vazio. E perceber que, mesmo que tente este exercício sem valor nenhum, nunca vou compreender a profundidade dos vossos sentimentos… Mas humildemente também acredito que, de longe, a Nô brilha e diz: “Mãe, Pai, adoro-vos. Vocês são o melhor que tenho. Não se preocupem comigo porque eu estou bem.”

    Um beijinho muito grande por estes dias,
    Francisca Teixeira

    ResponderEliminar
  6. Minha querida, queria poder abraçar-te...porque não tenho palavras para ti. Desejo-vos toda a força do mundo, com a certeza de que têm um anjo a olhar por vós. Um grande beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os abraços virtuais também são fortes. Mostram-nos que há alguém desse lado. Obrigada! Beijinho*

      Eliminar
  7. Não há palavras que confortem... só sei que a cada história destas que leio, de cortar o coração, dou mais e mais e mais valor à minha bebe de 7 meses e mais uma vez sinto o que ja escrevi em tempos, a maternidade é uma dádiva, quem tem filhos é abençoado, é um privilegiado... Muita força e a pequenina Leonor é uma linda estrelinha no Céu...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim! Todos os bebés merecem que lhes dêm todo o valor do mundo. Infelizmente não sabemos por quanto tempo cá estamos, nenhum de nós. E isto de dizermos que vivemos todos os dias como se fossem o último não é assim tão fácil de fazer... Mas temos que ir tentando! Dia após dia, dar cada vez mais valor ao que temos. A Nô ensinou-nos isso...

      Eliminar
  8. Não há muito que se possa dizer nestas alturas, não há nada que se possa dizer que faça doer um bocadinho menos. Dizer-vos que têm de ter força não é dar-vos novidade nenhuma. O máximo que vos posso dizer é que a Leonor teve sorte em ter-vos como pais durante os dias em que cá esteve, e que isso ninguém vos tira. A quem vos leu durante este tempo mostraram o valor do amor incondicional, e por isso nunca irei esquecer a Leonor, a menina de 441g que durante 5 dias lutou como uma guerreira.

    Um abraço aos dois.

    Inês

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! Foi uma honra ser mãe dela! Beijinho*

      Eliminar
  9. Minha querida ADEK, também um dia eu perdi uma Nônô na minha vida, um bocadinho maior do que a tua mas ainda pequenina na escala da vida. Nunca faço estes comentários na internet mas hoje o teu texto fez-me chorar, com lágrimas a sério e só queria mandar-te um grande grande beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A tua Nonô será lembrada com a nossa!! Quem sabe não estarão lá em cima a brincar as duas?

      Eliminar
    2. E a minha Nônô estará de certeza a cantar a música do "doidas doidas doidas andam as galinhas", por isso a tua Nônô terá entretenimento garantido :) Muitos beijinhos para ti, para o A, para todos. Queria dizer alguma coisa mas não sei bem o quê, acho que um beijinho e um abraço são mesmo o melhor**

      Eliminar
    3. Se quiseres mandar-me mail para falarmos das nossas Nôs, sente-te à vontade! Gostava muito de falar com alguém que me compreenda.

      Eliminar
    4. Mandei email, lá me lembrei de procurar no perfil ;) Beijinho

      Eliminar
  10. Não será esquecida.. Já li este texto umas 10x e continua a ser tão bonito como cruel... Obrigado Ana por partilharem este momento da vossa vida connosco...É uma grande aprendizagem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! Confio em vocês quando dizem que não a vão esquecer! Beijinho*

      Eliminar
  11. Adek, é com pesar que leio este post... Muita força minha querida, sei que é o que mais tens ouvido mas espero que realmente consigas sentir estas boas vibrações no teu coração! Um beijinho para ti e para o André e restante família. Força!

    ResponderEliminar
  12. Um beijinho grande e um abraço apertadinho...

    ResponderEliminar
  13. Eu não me esquecerei nunca da Nô! Nem das palavras sentidas e de um amor incondicional da mãe e do pai, nos seus blogues.

    Deixo-vos um xi-coração bem apertadinho e os olhos marejados de lágrimas pela partida da pequenina Nô. Mas eu sei que, esteja onde estiver, estará sempre a olhar por todos nós.

    Beijinhos doce*
    Joana
    (Coimbra)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Nô estará sempre connosco! Beijinho e obrigada!*

      Eliminar
  14. Já tinha lido este texto mas não consegui comentar pois fiquei a chorar. Não imagino a vossa a dor. Muita força! Beijo grande!

    ResponderEliminar
  15. Adek não consegui deixar de chorar com este relato :( Não imagino o que seja essa dor que devem sentir...a minha nasceu um mês mais cedo com 35 semanas e com 2kgs e pouco e o meu coração ficou do tamanho de uma ervilha. felizmente não precisou de incubadora e tudo correu bem. Não há palavras mas somente um abraço apertado deste lado. Muita força.

    ResponderEliminar